A Plataforma Catarinense de Mobilidade Sustentável (PCMS) é um programa do Governo do Estado de Santa Catarina, que conta com a participação das municipalidades, universidades e da sociedade civil organizada, para incentivar e dar suporte para que as cidades catarinenses assumam políticas de transporte sustentáveis, ou seja, promotoras da saúde, menos agressivas ao meio ambiente e favorecedoras da inclusão social, nas áreas urbanas e rurais.

A Plataforma Catarinense de Mobilidade Sustentável é, antes de tudo, uma iniciativa de mobilização das Secretarias de Desenvolvimento Regional e dos municípios catarinenses para adotarem políticas de planejamento urbano e de transporte mais favoráveis aos transportes não-motorizados e ao deslocamento de pessoas com necessidades especiais de mobilidade.

A idéia de criar a Plataforma Catarinense de Mobilidade Sustentável surgiu na Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina) a partir do trabalho do Grupo CicloBrasil (www.udesc.br/ciclo), núcleo de pesquisa e extensão do CEFID, que desenvolve ações em parceria com a Viaciclo (Associação do
Ciclousuários da Grande Florianópolis - www.viaciclo.org.br), com o apoio dos programas internacionais Locomotives (www.cycling.nl), World Carfree Network (www.worldcarfree.net) e IFRTD (Fórum Internacional de Transporte e Desenvolvimento Rural - www.ifrtd.org).

O sucesso da iniciativa depende de todos os atores envolvidos, i.e., o Governo do Estado, as Secretarias Centrais, em especial a Secretaria de Estado da Infra-estrutura – SIE, o Departamento de Transportes e Terminais – DETER, o Departamento de Infra-estrutura – DEINFRA, o Departamento Estadual de Trânsito e Segurança Viária – DETRAN, a Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, outras Universidades, sociedade civil organizada e comunidade em geral.

A mudança de paradigmas é, em geral, lenta e requer investimento. Porém, as justificativas para apoiar a PCMS são muitas, destacando-se:
- A oportunidade de combate ao sedentarismo e promoção da saúde pública por meio de ambientes viários seguros e convidativos ao caminhar e pedalar;
- A capacidade de redução da emissão de gases poluentes pela maior utilização dos transportes coletivos e dos modos não-motorizados de deslocamento, contribuindo para a preservação do meio ambiente;
- A propriedade de inclusão social que a melhoria da mobilidade e acessibilidade da população de baixo poder aquisitivo representam.


Governo do Estado de Santa Catarina
Secretaria de Estado da Infra-estrutura
Departamento Estadual de Infra-Estrutura
Departamento de Transportes e Terminais
Universidade do Estado de Santa Catarina
Viaciclo
I-CE 2007
World Carfree Network
IFRTD
Workshop Internacional sobre Planejamento e Sistemas Cicloviários 2006


Download gratuito do livro Cycling in the Netherlands